fraudes bancos digitais

Fraudes em Bancos Digitais: como ocorrem? Como prevenir? 💳

A desburocratização dos serviços bancários facilitou a vida de muita gente. Hoje, com poucos toques, qualquer pessoa consegue criar uma conta e fazer uso desses benefícios. No entanto, o que gerou praticidade para os usuários também abriu as portas para um grande problema: as fraudes em bancos digitais.

Só no mês de janeiro de 2018, o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude registrou 161.097 tentativas de fraude no Brasil, o que corresponde a uma tentativa de golpe a cada 16,6 segundos. Desse total, 25,1% se referem a bancos e instituições financeiras.

Neste artigo vamos falar sobre o que são essas fraudes em bancos digitais, como elas ocorrem e o que essas instituições podem fazer para prevenir que elas aconteçam.

Como surgem as fraudes nos bancos digitais?

Por meio da Resolução Nº 4.480, de 25 de abril de 2016, o Conselho Monetário Nacional passou a permitir à instituições financeiras, como bancos e fintechs, a abertura e encerramento de contas de depósito pela internet.

Essa mudança contribuiu para a redução da burocracia, eliminando a necessidade da conferência manual de uma série de documentos necessários para a abertura de uma conta, além da facilidade de resolver tudo sem precisar ir até o banco.

Além disso, com o objetivo de otimizar ainda mais a experiência dos usuários, essas instituições passaram solicitar cada vez menos dados para a abertura de contas, abrindo espaço para a ação de pessoas mal intencionadas.

Se por um lado o atendimento digital facilitou a vida dos clientes e ampliou o alcance dessas instituições, por outro, deu origem a novos golpes. Logo, as instituições financeiras passaram a ter de lidar com um novo problema: as fraudes em bancos digitais.

Leia também: Pagamentos omnichannel: veja como funciona e suas vantagens

Quais são as fraudes em bancos digitais mais comuns?

Com toda a simplicidade e conveniência oferecidas pelas fintechs e bancos digitais, fraudes acabam ocorrendo com certa facilidade.

A partir do roubo de dados pessoais, criminosos têm tudo o que precisam para criar contas em nome de terceiros, a partir das quais têm acesso a todos os serviços oferecidos pelas instituições, como: cartões de crédito, financiamentos, empréstimos, etc.

Mas como esses dados pessoais são roubados?

Além dos furtos, onde as pessoas têm seus documentos levados, uma forma muito comum de roubo de dados pessoais ocorre via telefone, com pessoas se passando por representantes de instituições financeiras e solicitando dados das vítimas, com a justificativa de confirmar sua identidade.

Outra estratégia muito utilizada por esses criminosos é o phishing, que consiste em enviar SMS, e-mails e até mensagens de WhatsApp, se passando por conhecidos, instituições financeiras, ou qualquer outra organização.

Ao baixar e executar programas maliciosos contidos nessas mensagens, o usuário, sem saber, abre uma brecha para que acessem suas informações privadas, dentre elas, seus dados pessoais.

Um relatório recente da Kaspersky Lab revelou que o Brasil é o país com maior incidência desse tipo de golpe. Só no primeiro trimestre de 2019, 21,66% dos usuários de internet receberam alguma mensagem tentando roubar seus dados pessoais. Ou seja, um em cada cinco usuários sofreu um ataque de phishing.

bancos digitais fraudes

Fonte: Kaspersky Lab – Spam and phishing in Q1 2019

Vários bancos digitais e fintechs são utilizados como fachada por fraudadores nesses golpes para roubo de dados pessoais. Um grande exemplo é o Banco Inter, mencionado tanto em fraudes via telefone quanto por e-mail, conforme você pode ver no vídeo abaixo:

Quais são os maiores desafios enfrentados por bancos digitais e fintechs?

Além do número cada vez maior de seus pares, outro desafio que essas instituições precisam enfrentar é agressiva concorrência dos bancos tradicionais, que possuem maior poder aquisitivo.

Junto da praticidade e conveniência proporcionada pela Internet, os bancos digitais ainda tem um compromisso com a inovação. Por meio de um atendimento personalizado buscam oferecer diferenciais capazes de atrair cada vez mais clientes que, em geral, têm a segurança como uma de suas principais preocupações.

De acordo com a Pesquisa Global de Fraude e Identidade, realizada pela Serasa Experian, dentre os brasileiros que fizeram uso de serviços bancários online em 2018, os aspectos mais importantes na interação com as plataformas dessas instituições financeiras são: facilidade de navegação (86%) e a demonstração de segurança (85%).

Logo, em um contexto em que a segurança é um dos elementos mais valorizados pelos usuários, as fraudes nos bancos digitais acabam constituindo um grande desafio para essas instituições.

Leia também: Marketing Digital na Crise: qual é o objetivo? Como agir?

Como evitar fraudes em bancos digitais?

Quanto mais fácil é criar uma conta digital, maior é o interesse de gente mal intencionada disposta a fraudar o sistema. Com isso é necessário desenvolver estratégias capazes de evitar esses tipos de fraudes em bancos digitais. Algumas das medidas que podem ser tomadas neste sentido são:

1 – Campanhas de conscientização para os clientes e usuários

Uma das formas mais comuns de se evitar fraudes em bancos digitais é investir em campanhas de conscientização para os clientes, alertando-os nos cuidados necessários para proteger seus dados e evitar cair em golpes. Algumas dessas orientações podem ser:

  • não compartilhar dados pessoais em redes sociais;
  • jamais fazer cadastros em plataformas ou sites suspeitos;
  • não passar dados pessoais por telefone, uma vez que os bancos nunca solicitam tais informações;
  • sempre fazer logoff após utilizar computadores de uso compartilhado;
  • se a oferta parece boa demais para ser verdade, provavelmente é golpe, e isso vale tanto para produtos, serviços e até mesmo ofertas de emprego.

No entanto, apenas esse tipo de campanha não é o suficiente para evitar as fraudes em bancos digitais. Por isso, outra grande aliada neste sentido é a tecnologia, que pode ser empregada como forma de prever e se antecipar a esse tipo de fraude, sendo essencial para ajudar a proteger os clientes desses golpes.

2 – Uso do Big Data para a identificação de atividades suspeitas

Ferramentas como o Big Data podem contribuir para identificar movimentações suspeitas, possibilitando intervenções pontuais a fim de evitar fraudes em bancos digitais e reduzir prejuízos.

Leia também: Aplicação do Big Data na logística: prática, exemplos e vantagens

3 – Adoção de múltiplas camadas de segurança para autenticação dos usuários

Outra forma de prevenir fraudes em bancos digitais é a adoção de múltiplas camadas de segurança para a autenticação dos usuários em apps e plataformas financeiras, ao invés do login simples, que solicita apenas usuário e senha.

Alguns exemplos dessas estratégias que podem ajudar na proteção dos usuários são:

  • identificação por biometria;
  • verificação em dois fatores;
  • notificação via e-mail ou SMS da realização de login em novos dispositivos;
  • identificação do local onde o login/transação ocorreu por meio da geolocalização.

4 – Cartão virtual como estratégia de segurança

Alguns bancos digitais oferecem a possibilidade de o cliente criar um cartão virtual para utilizar em suas transações, a fim de proteger os dados do cartão principal.

Em alguns casos, esse cartão pode ser usado em apenas uma única compra, ficando inutilizável logo em seguida. Em outros, pode ser utilizado em mais compras, podendo ser facilmente bloqueado e excluído.

5 – Uso de Inteligência Artificial e Machine Learning na identificação de usuários

De acordo com levantamento do Serasa Experian, publicado em abril de 2020, 66% das empresas participantes da pesquisa informaram que consideram importante ou já estão utilizando inteligência artificial e machine learning nos processos de prevenção à fraude.

Ambas as tecnologias podem ser utilizadas para a identificação dos usuários a partir do reconhecimento de padrões de fluxo de rede e da análise de históricos de dados por meio da geolocalização, assinaturas e outras fontes, contribuindo assim para identificar tendências e detectar fraudes.

Leia também: Estratégias de marketing em tempos de crise: o que fazer?

E aí? Ficou claro o que são fraudes em bancos digitais e o que pode ser feito para evitá-las?

O compromisso com a desburocratização do sistema bancário é parte do que gerou o sucesso das contas digitais, culminando na adesão de muitas pessoas. No entanto, a mesma praticidade que gerou tal fenômeno, também facilita a ação dos fraudadores, que estão sempre em busca de brechas para aplicar seus golpes.

Neste contexto, a tecnologia pode ser uma grande aliada no combate às fraudes nos bancos digitais, da mesma forma que pode contribuir em grande escala para a otimização das operações da sua empresa.

A Maplink, maior empresa de tecnologia em geolocalização da América Latina, com 20 anos de experiência na área, fornece o apoio para otimizar as operações de sua empresa, garantindo informações estratégicas e a redução de custos operacionais.

Em parceria com sua equipe de TI, integramos soluções que permitem utilizar a inteligência da geolocalização para melhorar a comunicação entres os canais online e offline, por meio da integração do seu sistema com a API do Google Maps. Mas quais são os benefícios disso na prática?

  • Aumento da eficiência nos atendimentos, reduzindo o tempo de resposta e facilitando o acesso ao histórico de cada cliente;
  • Maior agilidade e melhora na comunicação entre cliente e empresa, garantindo uma experiência de compra muito mais positiva para o consumidor;
  • Maior agilidade no fluxo de trabalho, uma vez que o sistema passa a ser alimentado automaticamente e em tempo real;
  • Redução de custos por meio da automatização de atividades, eliminação do uso de papel e otimização dos deslocamentos ao agrupar trabalhos geograficamente próximos;
  • Acesso a dados atualizados, que facilitam o acompanhamento de métricas e indicadores que garantem a satisfação dos clientes;
  • Melhora na rentabilidade, devido ao aumento da produtividade da equipe.

Apoiamos empresas que são protagonistas e referências nos mercados em que atuam, como: Mercado Livre, Decolar.com, Gol Linhas Aéreas, Nestlé e BRF. Agende agora mesmo uma conversa com um de nossos especialistas.

Gostou do artigo? Então compartilhe em suas redes sociais e ajude outras pessoas a entenderem o que são as fraudes em bancos digitais e como evitá-las! Além disso, assine a nossa newsletter para acompanhar os melhores artigos do blog da Maplink.

fraudes em bancos digitais

Comments are closed.