quarta-feira, outubro 20, 2021

O que é Geomarketing Político e como ele impacta na probabilidade de eleição e reeleição?

Você sabia que existe geomarketing político?

Com certeza, já leu por aqui sobre o poder da geolocalização para as empresas, certo? Ela é fundamental para compreender, com segurança, o perfil de compra do consumidor, suas preferências, cultura e necessidades.

Se fizermos um paralelo simples, podemos dizer que a sociedade também é uma empresa, onde os governantes são gestores e o presidente, obviamente, é o líder. O gerenciamento de municípios, cidades e países podem – e devem – utilizar ferramentas empresariais para garantir o sucesso das estratégias eleitorais e políticas.

Mas, diferente da evolução mercadológica, o marketing político é, hoje, extremamente engessado e arcaico. Com campanhas ao estilo “Compre Batom”, inúmeros panfletos, que ninguém de fato lê, e com estratégias bem superficiais.

Para acompanhar a evolução dos eleitores e do marketing, uma das ferramentas mais poderosas é a geolocalização. A ideia é que os candidatos e eleitos compreendam – com profundidade – a cultura local, o comportamento regional dos eleitores e quais as suas necessidades. Afinal, nós elegemos os candidatos conforme as ideologias e o que acreditamos ser essencial para o microambiente, ou seja, rua, bairro e cidade.

Esse conhecimento local só é possível com a compreensão de dados regionais e uma reformulação estratégica. Hoje, uma das formas mais atuais de capturar e analisar essas informações é o geomarketing político.

Vamos entender melhor o que ele significa e como funciona?

Geomarketing Politico: o que é?

O geomarketing político, ou eleitoral, é a utilização de dados geográficos para estruturar tomadas de decisões para campanhas eleitorais. A ideia é, portanto, capturar e analisar dados dos eleitores de uma ou mais regiões de abrangência que sejam, é claro, de interesse do candidato.

Esses dados são essenciais para descobrir o perfil do eleitorado e, principalmente, identificar fraquezas e possibilidades daquela região. Com estas informações em mãos, a equipe de planejamento e execução podem criar estratégias que sejam, de fato, benéficas para a população do local.

Além, é claro, de identificar quais as melhores linguagens, condutas e canais de comunicação com a população. A ideia, portanto, é deixar de construir campanhas superficiais que podem ser facilmente replicadas e, desta forma, evitar que a eleição, ou reeleição, ocorra por sorte, indicação, ou costume.

Bom, mas como realmente funciona o geomarketing político, na prática?

Como funciona o geomarketing eleitoral

Geomarketing Politico

Na prática, o geomarketing eleitoral é aplicado por uma equipe de marketing especializada em geolocalização e marketing político. Afinal, apesar das similaridades com o mundo empresarial, o setor político tem engrenagens muito específicas.

Essa atuação acontece com o uso de tecnologias de geolocalização, identificando algumas variáveis geográficas que impactam diretamente na campanha presente e futura. Como, por exemplo, a identificação política de cada região e perfil socioeconômico do eleitor. Com estas informações, a equipe de marketing pode construir um planejamento para minimizar o risco dos adversários políticos, avançando, assim, em territórios com baixa aprovação e desempenho.

Isso, claramente, permite a alocação mais eficiente dos recursos disponíveis. Ainda em dúvida se vale a pena investir em geomarketing político? Então, veja mais alguns benefícios dessa estratégia.

Por que utilizar o geomarketing em campanhas políticas?

Geomarketing eleitoral

Já existem, há alguns anos, empresas especializadas em construir a imagem de pessoas políticas, determinar o comportamento, a atuação e as falas no processo eleitoral. Isso é extremamente comum e necessário, afinal, inúmeros fatores e acontecimentos podem impactar no desempenho de um candidato.

Com um planejamento, baseado no geomarketing político, no entanto, ele pode criar uma estratégia mais padronizada, estável e eficiente. Como foram, por exemplo, as campanhas de Bill Clinton, em 1992, e Barack Obama, em 2008. A equipe de marketing dos dois candidatos à presidência dos EUA utilizou a inteligência de dados geográficos como base do seu planejamento.

Talvez você esteja pensando: Não vejo qual a necessidade prática do geomarketing político. Afinal, o que realmente faz alguém ser eleito são os ideais de cada eleitor, grupo de apoiadores e o famoso populismo.

Isso não deixa de ser parcialmente verdade. Mas, com a Internet, o aumento da troca de informações e o fácil acesso ao conhecimento, o eleitor pode realizar pesquisas, reclamar por direitos e, principalmente, influenciar outros eleitores de forma viral.

Com o geomarketing político, os candidatos podem compreender profundamente as necessidades do seu perímetro de atuação e construir campanhas e planejamentos que, de fato, impactem naquela área.

Seguindo esta estratégia é possível melhorar a imagem do candidato e ratificar sua responsabilidade com a sociedade. Além, é claro, de agilizar a atualização de novas estratégias e a descoberta de tecnologias de marketing.

Hoje, o eleitor é muito mais informado e a rede garante que atos, falas e posicionamentos fiquem salvos. Por isso, saber se relacionar com o público e conhecê-lo é indispensável para vencer a corrida política.

Você quer fazer geomarketing político, mas ainda não tem uma ferramenta de geolocalização? Então, precisa conhecer as soluções Maplink.

Maplink: A ferramenta certa de geolocalização

Utilize a inteligência de mercado e de geolocalização em favor da sua campanha!

A Maplink, maior empresa de tecnologia em geolocalização da América Latina, com 20 anos de experiência na área, fornece o apoio para otimizar operações, garantindo informações estratégicas e redução de custos operacionais.

Em parceria com sua equipe de TI, integramos soluções que permitem utilizar a inteligência da geolocalização para melhorar a comunicação entres os canais online e offline, por meio da integração do seu sistema com a API do Google Maps. Mas quais são os benefícios disso na prática?

  • Aumento da eficiência nos atendimentos, reduzindo o tempo de resposta e facilitando o acesso ao histórico de cada cidadãos;
  • Maior agilidade e melhora na comunicação entre cidadãos e empresa, garantindo uma experiência de compra muito mais positiva para o consumidor;
  • Maior agilidade no fluxo de trabalho, visto que o sistema passa a ser alimentado automaticamente e em tempo real;
  • Redução de custos por meio da automatização de atividades, eliminação do uso de papel e otimização dos deslocamentos ao agrupar trabalhos geograficamente próximos;
  • Acesso a dados atualizados, que facilitam o acompanhamento de métricas e indicadores que garantem a satisfação dos cidadãos;
  • Melhora na rentabilidade, devido ao aumento da produtividade da equipe.

Apoiamos empresas que são protagonistas e referências nos mercados em que atuam, como: Mercado Livre, Decolar.com, Gol Linhas Aéreas, Nestlé e BRF. Agende agora mesmo uma conversa com um de nossos especialistas.

Gostou do artigo? Então compartilhe em suas redes sociais e ajude outras pessoas a conhecerem os benefícios dessas técnicas de geomarketing político! Além disso, assine a nossa newsletter para acompanhar os melhores artigos do blog da Maplink.

spot_img
Newsletter
Últimos Posts

Google Maps Plataform: Novo recurso de estilização de mapas

Neste mês, o Google anunciou um novo recurso de estilização de mapas, que permite melhorar a experiência para os...

Artigos Relacionados