Home Logística Saiba como aumentar a segurança no varejo para minimizar os riscos e...

Saiba como aumentar a segurança no varejo para minimizar os riscos e perdas

0
3

Será que a segurança no varejo é o ponto fraco da sua empresa?

Essa é uma fraqueza, infelizmente, presente em muitos negócios, não apenas no varejo. Afinal, a taxa de perdas impacta negativamente no faturamento das empresas de pequeno a grande porte, em todos os nichos e mercados.

Precisamos salientar, no entanto, que o índice de segurança no varejo aumentou durante a pandemia. Isso ocorreu devido a inúmeras restrições para a contenção do vírus. De acordo com a pesquisa Abrappe de Perdas no Varejo Brasileiro, tivemos uma queda no índice de 1,38%, em 2018, para 1,36%, em 2019.

Os resultados de 2019 mostram que os supermercados ainda são os recordistas de perdas no varejo, seguidos pelo setor de perfumaria e esportes:

Dentre as principais causas temos:

Quebras operacionais, com 36%, e furto externo, com 20%, lideram esse ranking de perdas. Na primeira opção, as empresas perdem com produtos vencidos, deterioração, produtos danificados, armazenamento inadequado e muito mais.

Apesar da queda no índice de perdas passar uma impressão de melhora na segurança, isso não deve se manter a longo prazo. Afinal, é preciso compreender que as medidas implantadas para conter a atual pandemia vão mudar com o decorrer do tempo. E, claro, a sua empresa precisa se precaver para que as perdas não voltem a crescer.

Vamos compreender como a sua empresa pode aumentar a segurança no varejo com algumas medidas de controle e monitoramento?

O que é segurança no varejo?

Segurança no varejo é o conjunto de estratégias e ferramentas que visa a prevenção de perdas ocasionadas, principalmente, por furtos e roubos a estabelecimentos do varejo.

Apesar da evolução tecnológica dos últimos anos, a preocupação com estratégias de segurança ainda é muito recente no Brasil. Os primeiros registros dessas práticas são da década de 40, com o surgimento da primeira guarda noturna do país, em Santos.

A legislação específica de segurança é ainda mais recente, datada de 1983, com a Lei 7.102 que normatizava a proteção de estabelecimentos financeiros. Durante esses anos, o varejo surgiu e se popularizou rapidamente. E, naturalmente, a demanda por normas e estratégias que garantam a segurança no varejo se tornaram cada vez mais urgentes.

Tanto para regulamentar medidas de segurança patrimonial, como trabalhistas, ambientais e, com a era digital, segurança da informação.

Então, quais itens precisam ser considerados?

Você já deve estar imaginando que o setor é composto de diversas etapas, processos e pessoas. Isso quer dizer que a segurança no varejo precisa abranger toda essa configuração.

Para melhorar a visibilidade dessa demanda, listamos alguns dos itens fundamentais para incluir no planejamento de estratégias de segurança no varejo. Tais como:

  • Segurança do transporte, cargas, pessoas e pontos físicos;
  • Prevenção de fraudes;
  • Segurança de dados e informações, principalmente nos e-commerces e sites;
  • Recursos, normas e politicas de segurança no varejo, para normatizar, investigar e regulamentar sanções e punições para práticas irregulares. Tanto internas, quanto externas;
  • Mapeamento de pontos de risco, ferramentas de monitoramento e práticas de gerenciamento.

Agora que você já sabe o que é segurança no varejo, a importância de estabelecer práticas que minimizem riscos e quais são os itens mais sensíveis do setor, vamos ver algumas estratégias para aumentar a segurança do seu negócio?

5 dicas para aumentar a segurança no varejo

segurança no varejo

Você deve ter notado que a segurança no varejo é um ponto fraco das empresas, extremamente prejudicial para a saúde do seu negócio. Além dos impactos financeiros, a imagem da sua marca também pode ser comprometida com o excesso de perdas através de furtos, roubos e condutas que aumentem a insegurança dos clientes.

Afinal, nenhum consumidor gostaria de frequentar estabelecimentos que os coloquem em risco durante suas compras, não é mesmo?

Mas se pararmos para pensar, incidentes acontecem e não é sempre que conseguimos evitá-los, correto?

Sim, verdade, mas algumas medidas de segurança podem minimizar os riscos e aumentar o controle que a sua empresa tem sobre os processos, andamentos internos e externos.

Para te ajudar nessa missão, vamos ver quais são as melhores medidas de segurança no varejo?

1. Planejamento prévio baseado na localização dos pontos de venda, estoques e armazéns

Quando uma empresa pretende abrir um ponto de venda, o ideal é pesquisar qual o nível de risco dos locais em potencial. Essa é uma medida de segurança no varejo fundamental para novas empresas e para o planejamento de expansão.

A geolocalização é essencial nesta busca pelo local ideal, afinal, precisamos fazer o levantamento de dados atualizados e históricos da região de interesse. Como, por exemplo, incidência de furtos e roubos, frequência de fiscalização, taxa de periculosidade e se há probabilidade de crescimento desse risco.

Para garantir a total segurança no varejo é preciso levantar essas informações não apenas nas regiões dos pontos de vendas, mas também dos armazéns, distribuidores e estoques.

Não deixe de ler: 7 Tendências do Varejo: caminhos promissores para o sucesso.

2. Layout do ponto de venda

Uma das maiores justificativas para a queda de perdas no varejo, durante a pandemia, é o controle do número de clientes no estabelecimento e o crescimento do monitoramento – para verificar o uso de máscaras e álcool em gel.

Isso, em conjunto com a distribuição estratégica de produtos, de acordo com o seu valor agregado, diminuem consideravelmente a incidência de furtos. Aumentando, assim, a segurança no varejo.

3. Gerenciamento regular, automatizado e efetivo

O gerenciamento é a etapa fundamental para aumentar a segurança no varejo, principalmente, relacionado ao estoque. Quando estabelecemos uma gestão no varejo eficiente, inibimos práticas irregulares e agilizamos a identificação de gargalos e possíveis fraudes. Tanto internas, quanto externas.

E, claro, com o gerenciamento correto podemos visualizar, com precisão, em qual etapa do processo ocorreu a ação e quem são os responsáveis. Esse conjunto de medidas, portanto, aumenta a segurança no varejo.

4. Segurança patrimonial

Para melhorar a segurança no varejo é essencial traçar um planejamento de identificação de vulnerabilidades. Neste estudo, realizamos o diagnóstico de riscos da estrutura do local. Como já mencionamos no layout do ponto de venda, a distribuição dos produtos tem grande impacto na minimização do risco. Além, é claro, da localização de entradas, saídas, janelas, portas e estacionamento de cada ponto de venda.

Ao traçar essas localizações, podemos inserir o monitoramento eletrônico mais adequado, como portas com sensores, câmeras e outros mecanismos de segurança. Também é uma etapa muito importante para contratar empresas terceirizadas de monitoramento.

5. Roteirização

Não basta garantir a segurança no varejo apenas no ponto de venda. Afinal, existem contratos de compras que tornam o comprador responsável pela carga transportada. Isso quer dizer que precisamos, sim, nos preocupar com a segurança desse produto durante a rota.

E uma das maneiras de diminuir os riscos de furtos, perdas por acidente e, até mesmo, por armazenamento incorreto, é a roteirização de cargas. Quando desenvolvemos a melhor rota, consideramos trajetos mais rápido, seguros, com menor incidência de acidentes e com pontos de monitoramento estrategicamente distribuídos.

Você ainda não tem um sistema de roteirização e monitoramento para garantir a segurança no varejo por todo o trajeto de entrega? Então, conheça as API’s Maplink!

Roteirização utilizando as API’s Maplink – A melhor ferramenta de segurança no varejo desde o transporte da carga

Com o roteirizador Maplink a sua empresa consegue ter acesso ao cálculo do melhor caminho e sequenciamento de entregas entre localizações. E mais, conseguimos oferecer essa rota considerando inúmeros fatores e restrições, como especificações do veículo, limite de velocidade e muitos outros.

Isso é possível devido às nossas API’s Maplink, sigla utilizada para Application Programming Interface, em português, Interface de Programação de Aplicativos. Elas são responsáveis por intermediar a comunicação entre dois sistemas ou plataformas.

As APIs Maplink foram criadas para se adaptar às necessidades da sua empresa e sistema, indo muito além do mercado logístico. Como? Veja só:

  • Trip API

Trip API é o roteirizador Maplink que realiza o cálculo do melhor caminho, considerando todas as variáveis de transporte, como veículo, histórico de trânsito, geometria da rota e muito mais.

  • Planning API

O Planning API é a ferramenta perfeita para potencializar o roteirizador Maplink, afinal, trata-se do serviço de montagem de carga, otimização e sequenciamento de N (pedidos) para N (veículos).

Mais algumas ferramentas das API’s e roteirizador Maplink

  • Map Display: Renderização e visualização do mapa com suas rotas, pedágios e locais importados;
  • Distance Matrix: resultado do cálculo da distância (KM) e tempo entre uma matriz de diversas origens para diversos destinos;
  • Place in Route and Nearby: Identificação, gestão e busca de locais próximos. Como balanças, postos de combustível, etc;
  • Restriction Zone: gestão e criação de áreas de restrição, para desvio de rotas;
  • Geocoding e Reverse Geocoding: converte os endereços e CEPs em latitude e longitude e vice e versa;
  • Geocoder AutoComplete: sugere a localização no momento que o usuário está digitando, baseado em históricos e relevância.

Algumas destas ferramentas podem ser utilizadas em conjunto, de forma completamente integrada, ou individualmente. Dependendo, é claro, das necessidades da sua empresa.

Entenda abaixo como a Maplink funciona e algumas das nossas principais soluções para garantir a segurança do varejo desde o transporte até a entrega.

Maplink

A Maplink, maior empresa de tecnologia em geolocalização da América Latina, com 20 anos de experiência na área, fornece o apoio para otimizar as operações de sua empresa, garantindo informações estratégicas e a redução de custos operacionais.

Em parceria com sua equipe de TI, integramos soluções que permitem utilizar a inteligência da geolocalização para melhorar a comunicação entres os canais online e offline, por meio da integração do seu sistema com a API do Google Maps. Mas quais são os benefícios disso na prática?

  • Aumento da eficiência nos atendimentos, reduzindo o tempo de resposta e facilitando o acesso ao histórico de cada cliente;
  • Maior agilidade e melhora na comunicação entre cliente e empresa, garantindo uma experiência de compra muito mais positiva para o consumidor;
  • Maior agilidade no fluxo de trabalho, uma vez que o sistema passa a ser alimentado automaticamente e em tempo real;
  • Redução de custos por meio da automatização de atividades, eliminação do uso de papel e otimização dos deslocamentos ao agrupar trabalhos geograficamente próximos;
  • Acesso a dados atualizados, que facilitam o acompanhamento de métricas e indicadores que garantem a satisfação dos clientes;
  • Melhora na rentabilidade, devido ao aumento da produtividade da equipe.

Apoiamos empresas que são protagonistas e referências nos mercados em que atuam, como: Mercado Livre, Decolar.com, Gol Linhas Aéreas, Nestlé e BRF. Agende agora mesmo uma conversa com um de nossos especialistas.