tipos de fraudes no e-commerce

Tipos de fraudes no e-commerce: Será que o cliente pode confiar na sua marca?

Minimizar os tipos de fraudes no e-commerce é uma verdadeira batalha para todas as empresas. Afinal, infelizmente, balancear facilitadores com segurança não é assim tão simples.

No Brasil, os consumidores demonstraram muita resistência em aderir processos completamente online exatamente pela insegurança. Principalmente as gerações anteriores, que viram a internet e dispositivos móveis surgirem.

Vivenciamos uma revolução nas transações, mas muitas questões ainda eram um mistério, como a segurança dos dados, acesso às informações pessoais e, inclusive, comercialização destas.

E não sem razão, quanto mais automação, mais sofisticados se tornavam os tipos de fraudes no e-commerce, instituições financeiras, etc. Uma prova disso é a pesquisa recente realizada pela ClearSale, empresa de soluções antifraude, que verificou um aumento de 18% nas tentativas de fraudes devido à quarentena.

Solução? Bom, estratégias de combate a fraudes é a primeira resposta que pensamos, certo?

Mas, calma, antes precisamos compreender com profundidade contra quem é essa batalha. Por isso, neste artigo, vamos explicar quais os tipos de fraudes no e-commerce e o que você pode fazer para minimizar ou neutralizar esses riscos.

O que é considerado fraude?

tipos de fraudes no e-commerce

O termo fraude pode ser aplicado a diversos nichos da sociedade, como científico, fiscal, eleitoral, etc. Aqui, no entanto, estamos falando exclusivamente da fraude comercial, que inclui ações praticadas de má-fé para prejudicar, lesar ou enganar, com a finalidade de tirar proveito de outro indivíduo. Normalmente os prejuízos são financeiros, mas também podem ser psicológicos e/ou de imagem.

A fraude pode ocorrer em diversos níveis de prejuízo à vítima e sua regulamentação está prevista em lei de acordo com a esfera dos atos. Por exemplo, o estelionato, que é considerado um tipo de fraude, está previsto no Código Penal brasileiro.

Fraude, portanto, é tipificada como crime e, se comprovada, o fraudador pode sofrer sanções, multas e penalidades.

Veja também: Como gerenciar um e-commerce: entenda a importância desse processo.

3 tipos de fraudes no e-commerce: Entenda como se proteger

Existem diversos tipos de fraudes no e-commerce aplicadas tanto pelo “cliente”, quanto por empresas.

Por exemplo, quando você acessa um anúncio de uma loja online de eletrônicos, escolhe o produto em perfeito estado, compra e ele é entregue com avarias, ou não corresponde ao anúncio, é uma fraude aplicada por empresas. Da mesma forma que as inúmeras lojas fantasmas que existem na internet.

Mas, com certeza, você está curioso para saber contra quais tipos de fraudes no e-commerce a sua empresa precisa se proteger, certo?

De maneira geral os tipos de fraudes no e-commerce praticadas por “clientes” podem ser divididos em 3 categorias:

1 – Fraude efetiva, ou limpa

Um dos tipos de fraudes no e-commerce mais recorrentes é chamado de efetivo, ou fraude limpa. Chamamos desta forma, pois o fraudador possui todos os dados e informações da vítima, necessários para realizar uma compra online. Dados do cartão, nome completo, data de vencimento e, até mesmo, o código de segurança.

Como você deve imaginar é o tipo de fraude no e-commerce que, raramente, conseguimos antecipar. Afinal, não é um ato que levanta suspeitas e, portanto, umas das tentativas de fraudes com maior chance de se concretizar e gerar prejuízos para a empresa.

Quando a notificação, ou a fatura, chegar, o dono do cartão não vai reconhecer aquela compra. Imediatamente ele entra em contato com o banco, ou instituição financeira, responsável pelo cartão e questionará aquele lançamento, gerando, assim, o chargeback, estorno do valor debitado.

2 – Fraude amiga

Os tipos de fraudes no e-commerce que se enquadram na fraude amiga também são dificilmente previstos pelas empresas. Afinal, trata-se da transação realizada por parentes ou amigos, sem o consentimento do proprietário do cartão. O fraudador, tal como no tipo de fraude acima, também possui todas as informações necessárias para efetuar a compra.

O procedimento, realizado pelo proprietário do cartão, costuma ser semelhante ao anterior, com a solicitação do chargeback. Mas, nestes casos, é muito comum que ele reconheça a responsabilidade pela compra quando descobre o autor.

3 – Auto-fraude

Enquanto os tipos de fraudes no e-commerce que citamos acima são ocasionados por terceiros, a auto-fraude é uma ação realizada pelo próprio titular do cartão. Neste caso ele efetua a compra online e, dentro do prazo da instituição financeira (180 dias), contesta aquela compra, mesmo tendo comprado e recebido o produto.

Como você pode minimizar a ocorrência destes tipos de fraudes no e-commerce

Infelizmente, a maioria dos tipos de fraudes no e-commerce são difíceis de prever e evitar. Afinal, os fraudadores se apropriam de informações do titular do cartão de tal forma a ludibriar o processo de pagamento. E, as ferramentas utilizadas pelos agentes fraudadores se desenvolvem em um ritmo muito semelhante à evolução de tecnologias de segurança, dificultando ainda mais o combate às fraudes no e-commerce.

O que podemos fazer é trabalhar nas estratégias de prevenção. A nossa principal dica neste sentido, para combater quaisquer tipos de fraudes no e-commerce, é estabelecer uma cultura de segurança na sua empresa. Para isso você precisa atuar em algumas frentes, como:

  • Escolha correta da plataforma do seu e-commerce. Se você quer ter uma empresa online precisa investir em uma plataforma consolidada, com políticas de segurança e com alto nível de confiabilidade no mercado;
  • Terceirizar o processo de pagamento para um intermediador, como MercadoPago, por exemplo. Desta forma você consegue um combate muito mais especializado para proteger a sua empresa;
  • Estabeleça uma política anti-fraudes clara e pública para todos os colaboradores e clientes;
  • Construa estratégias de combate a fraudes. Não basta teorizar a sua missão anti-fraude, é preciso colocá-la em prática. Auditorias internas e externas, além de sistemas de segurança da informação, podem ser algumas dessas estratégias;
  • Tenha colaboradores empenhados nessa missão. Nem sempre as fraudes são ameaças externas à empresa. Colaboradores tabém podem facilitar ou praticar ações de má-fé. Fique atento! E, se considerar ideal, terceirize as auditorias relacionadas ao nível de segurança e ameaças.

Dica bônus

  • Automação

Como mencionamos, os tipos de fraudes no e-commerce não se limitam apenas a ataques externos. Também estamos sujeitos a fraudes internas e a melhor forma de preveni-las é criar processos mais integrados e automatizados.

Desta forma a sua empresa pode acompanhar, com mais facilidade, todas as ações envolvidas em cada uma das etapas, verificar gargalos com mais agilidade e minimizar os riscos de fraudes internas.

Mas, como começar a automatizar seus processos no e-commerce?

Bom, nossa dica, claro, é apostar em ferramentas para e-commerce e desenvolver soluções personalizadas para a sua empresa, que atendam especificamente seus clientes e as demandas internas. Nada melhor do que as API’s da Maplink para começar a automação da sua empresa, aumentar a confiabilidade da sua marca e evitar os tipos de fraudes no e-commerce, que citamos por aqui.

Ficou curioso para conhecer mais sobre a Maplink? Então, veja abaixo um pouco sobre a nossa empresa e como podemos te ajudar.

Maplink

A Maplink, junto com o seu time de TI ou desenvolvimento, oferece uma solução robusta, usando a tecnologia para otimizar as operações de sua empresa, garantindo informações estratégicas e a redução de custos operacionais. Como?

  • Integração e implementação de APIs para otimização de processos operacionais;
  • Nossas APIs integram facilmente com qualquer tecnologia ou sistema (TMS, CRM, WMS e outros). Além disso, o seu time vai ter acesso a uma documentação completa e a um time de especialistas dedicado, garantindo uma implementação rápida;
  • Otimização de rotas de entrega;
  • Entre outras inúmeras funcionalidades.

Somos a maior revendedora de Google Maps da América Latina. Integramos soluções que permitem utilizar a inteligência da geolocalização para melhorar a integração entres os canais online e offline, por meio da integração do seu sistema com a API do Google Maps. Mas como funciona na prática?

  • Aumento da eficiência nos atendimentos, reduzindo o tempo de resposta e facilitando o acesso ao histórico de cada cliente;
  • Maior agilidade e melhora na comunicação entre cliente e empresa, garantindo uma experiência de compra muito mais positiva para o consumidor;
  • Acesso a dados atualizados, que facilitam o acompanhamento de métricas e indicadores que garantem a satisfação dos clientes;
  • Melhora na rentabilidade, devido ao aumento da produtividade.

Apoiamos empresas que são protagonistas e referências nos mercados em que atuam, como: Mercado Livre, Raízen, Gol Linhas Aéreas, Nestlé e BRF. Agende agora mesmo uma conversa com um de nossos especialistas.

Tags: No tags

Comments are closed.