Roteirizador: entenda tudo sobre o assunto e melhore sua logística

A ampliação de oportunidades de negócio para o setor de logística, na atualidade, passa pela inteligência de geolocalização, como o roteirizador.

Por Maplink

19/11/2018

A ampliação de oportunidades de negócio para o setor de logística, na atualidade, passa pela inteligência de geolocalização, como o roteirizador. Com a função principal de otimizar os trajetos realizados, ao se explorar outras funcionalidades desse tipo de solução, é possível encontrar o caminho mais curto para o sucesso de empreendimentos que têm nas frotas seu principal elemento de trabalho.

A geoinformação é uma das vertentes da chamada Ciência de Dados, que trouxe para o mercado tecnologias avançadas de coleta e análise de dados em tempo real, permitindo visualizar cenários e prever as melhores respostas para demandas diversas do negócio.

No caso do nicho da logística, a missão empresarial se torna mais fácil de ser alcançada com o emprego dessa combinação de geografia com tecnologia. Colocar mercadorias ou serviços à disposição do cliente no lugar certo, na hora combinada, preservando a integridade das encomendas — tudo isso ao menor custo — passa a ser uma tarefa menos árdua, com metas passíveis de serem cumpridas e com maiores garantias de incremento de resultados.

Assim, boas práticas e gestão de logística envolvem não só a definição de percursos de entrega, mas todo um arcabouço de decisões para minimizar o custo da operação, reduzir tempos e conquistar a satisfação do cliente.

É sobre essa governança de processos logísticos que trata este post. Siga a leitura e conheça formas de otimizar rotas e automatizar tarefas, por meio do uso de soluções tecnológicas que transformam o padrão de eficiência e produtividade de empresas do ramo.

1. O que é roteirização?

A roteirização, também conhecida como roteamento de veículos, consiste na definição de trajetos com custo total reduzido, buscando atendimento de cada ponto de entrega definido no planejamento.

Apesar de parecer um trabalho simples, que considera tanto o ponto inicial, quanto os intermediários e o final, diversas variáveis precisam ser consideradas nesse trabalho, como carga máxima suportada por cada veículo, a jornada de trabalho dos condutores, a existência de radares de velocidade no trajeto, o consumo de combustível, a localização do cliente — esses e outros elementos serão mais bem detalhados em um tópico adiante.

A complexidade que está sendo sugerida até aqui se confirma quando aplicada à realidade das empresas de transporte e distribuição de cargas que atendem centenas ou milhares de clientes por dia.

É nesse ponto que entram em cena soluções de análise de dados geolocalizados e algoritmos específicos para subsidiar o melhor planejamento logístico possível.

Estamos falando da estratégia de roteirização, focada na redução de tempo, distância percorrida e custos logísticos. Isso se dá por meio de soluções tecnológicas, conhecidas como roteirizadores, que são capazes de traçar sequências de paradas a serem cumpridas por veículos ou frotas, visando atender um conjunto de pontos geograficamente dispersos, dentro do intervalo de tempo desejado.

As características desse tipo de inteligência que permite também visitas únicas a cada ponto predefinido, além do desvio de obstáculos físicos, congestionamentos e pedágios, serão exploradas no próximo item. Acompanhe.

2. Como funciona um roteirizador?

Um software que facilita a vida de gestores de empresas de logística no que tange à organização de rotas, horários, consumo de combustível e todo o restante de fatores e problemas enfrentados na área é considerado um roteirizador.

Esse tipo de tecnologia tem se tornado tendência, já que agrega rapidez e qualidade às operações. Além disso, ela evita problemas nas entregas, como lentidão nos trajetos, áreas de risco, acidentes, trechos malconservados.

Os roteirizadores também melhoram a localização de facilidades e de obstáculos ao longo do caminho (postos de combustível e viadutos com limite de altura de veículos, por exemplo).

Além disso, outras variáveis compõem o algoritmo que devolve respostas eficientes para o dia a dia operacional:

  • condições das vias de circulação;
  • desvios em caso de necessidade;
  • restrições de horário do cliente para recebimento de mercadorias;
  • veículos disponíveis e a capacidade de cada um;
  • volume de itens a serem transportados;
  • produtos que exigem acondicionamento específico ou possuem limite de tempo para suportar as condições ambientais do período do trânsito.

Em resumo, essas soluções integram, otimizam e empoderam as operações logísticas, fazendo com que elas estejam à altura da complexidade do ecossistema de suprimentos. Isso se dá por meio de diversas funcionalidades, como:

  • visualização de toda a cadeia de processos logísticos, permitindo identificar gargalos e pontos de atenção;
  • planejamento de rotas online, com identificação proativa de desvios e caminhos mais ágeis e seguros para entregas;
  • identificação de pedágios para compor a previsão de despesas com cada rota;
  • estabelecimento de níveis de serviço desejados, para que os algoritmos de desenho de rotas considerem não só distâncias, mas também o acordo realizado com o cliente em relação ao tempo de entrega;
  • criação de mapas personalizados e incorporação de informações geolocalizadas em plataformas internas da empresa;
  • análise e determinação do tamanho da frota, conforme a capacidade de cada veículo e o histórico da demanda;
  • sugestão de veículos adequados para cada entrega a ser realizada;
  • desenho de rotas para vários destinos e veículos simultaneamente;
  • cadastro de jornadas de trabalho dos motoristas e informações sobre cargas (peso, volume, valor, tipo);
  • gestão financeira aprimorada da operação, analisando variáveis como gasto de combustível, valor do profissional que conduz o combustível, depreciação dos veículos e outras despesas inerentes à cadeia logística;
  • gráficos e métricas para facilitar a visão estratégica do negócio e contribuir para a tomada de decisão;
  • acesso a plataformas digitais e móveis.

Com esses e outros recursos, os roteirizadores agregam soluções modulares alinhadas com a necessidade de cada empresa, flexíveis e escaláveis. Com isso, essas tecnologias acompanham a evolução do negócio e apresentam aprimoramentos no mesmo ritmo de crescimento das atividades.

3. Por que apostar na roteirização da sua logística?

O planejamento adequado de rotas é um diferencial para as empresas de logística, e isso por si só é um motivo relevante para a decisão de aderir a um modelo automatizado de roteirização.

Em termos de racionalização de processos, a estratégia de roteirização melhora o serviço de coleta e entrega e o atendimento ao cliente. E quanto ao resultado do negócio, ela traz maior eficiência operacional — o famoso fazer mais com menos — e consequentemente maior lucratividade.

Os benefícios desse modelo de gestão de frotas são muitos, e alguns deles serão destacados a partir de agora. Observe:

3.1. Otimização dos percursos

A roteirização traz a análise de todos os pontos vitais para a realização de trajetos e de coletas e entregas, indicando qual é o melhor caminho a percorrer, considerando quesitos de distância, segurança, tempo de viagem, gastos com combustível e com eventuais pedágios, além da possibilidade de desvio caso haja algum empecilho ao cumprimento do objetivo traçado.

Esse planejamento garante mais eficácia quando comparado à prática de delegar ao motorista a responsabilidade de como chegar ao destino estabelecido. Afinal, isso é uma missão gerencial e não uma mera execução operacional.

3.2. Racionalização do uso de combustível e outros recursos

Combustível é um dos maiores custos assumidos por transportadoras, daí a importância de se buscar meios para tornar seu uso o mais racional possível e reduzir o custo de viagens. Logo, quanto menos quilometragem, melhor.

Com a proposição de rotas mais acertadas, é possível associar a redução do tempo do trajeto de cada veículo à economia do uso de combustível, além de óleo e água. O desgaste do veículo também é reduzido, postergando a necessidade de substituição de peças ou até mesmo do bem.

3.3. Sustentabilidade ambiental

Quanto mais curtas as rotas, menor será a janela para emissão de poluentes pelos veículos. Esse não chega a ser um ponto de retorno financeiro para o negócio, mas considerando-se a questão da imagem e da cidadania empresarial, é um aspecto importante a ser considerado por seus gestores.

Além disso, a partir da integração com tecnologias de monitoramento da situação dos veículos, a empresa de logística consegue acompanhar mais de perto os tempos ideais para troca de peças ou substituição da frota. Quanto maior a conservação dela, menor será o desperdício do consumo de combustível.

3.4. Melhor experiência do cliente

O que o cliente quer, de qualquer negócio, é a entrega de produtos ou serviços na medida da sua necessidade, considerando também preço e prazos.

Com a roteirização, os horários preestabelecidos são respeitados, as particularidades de cada cliente são observadas e, com isso, cria-se uma relação de confiança com o consumidor, aumentando as chances de fidelização.

Outro ganho é que o rastreamento de frotas reduz reclamações, já que é possível acessar informações de previsão de entrega com mais precisão.

3.5. Aumento da performance

Quando se tem rotas planejadas, é possível eliminar a ociosidade de veículos e de condutores. Considerando o custo trabalhista para se manter colaboradores, garantir a produtividade máxima de cada funcionário é bastante benéfico.

Além disso, com saídas para o maior número de entregas possível na mesma rota, garante-se o aproveitamento máximo da capacidade de carga de cada veículo.

3.6. Economia com pedágios e radares de velocidade

Imagine entregas frequentes para um cliente situado em local acessível via pistas com pedágios. O impacto no orçamento da empresa será representativo, provavelmente.

É possível roteirizar trajetos desviando desses pontos e também integrar a informação sobre radares de velocidade com soluções de controle automatizado de velocidade ou de alerta antecipado ao motorista.

E quando é inevitável a passagem por eles, o sistema contribui para a previsão financeira dessa despesa em cada rota e também para a leitura das chancelas automáticas dos pedágios.

3.7. Maximização da capacidade de cada janela de entrega

Se um cliente definiu um horário específico para entregas e há demanda frequente dele, o ideal é reforçar a carga para que o volume adequado para atender suas necessidades seja atendido sem que haja viagens seguidas dentro daquele intervalo restrito de tempo. Isso reduz as idas e vindas e todas as despesas envolvidas em cada deslocamento de um veículo.

Para que essa tática tenha êxito, é importante contar com informações sobre as características dos veículos da frota. Isso permite que o modelo ideal seja selecionado para atender a essas rotas.

3.8. Otimização de coleta e entrega de cargas fracionadas

Quando há demanda por pequenos lotes de envio de um cliente, é preciso combiná-los com pedidos similares de outras empresas para aproveitar o máximo da capacidade de um veículo. Aí a roteirização fica mais complicada, porque precisa contemplar cada ponto de coleta ou entrega em uma sequência inteligente e racional.

Nesses casos, um software de roteirização reduz o tempo necessário para concluir cada distribuição, a partir do dimensionamento adequado das cargas e da localização e características de recebimento ou entrega de mercadoria de cada cliente.

3.9. Monitoramento do comportamento e desempenho do condutor

O conjunto de softwares que podem ser instalados para gestão logística traz soluções para monitoramento da execução das rotas, desde a saída do ponto inicial até a chegada ao destino.

Com isso, é possível analisar diversos aspectos das viagens realizadas, especialmente a forma de atuação de cada condutor, o atendimento ao planejamento repassado, o respeito às regras de trânsito e o cumprimento da escala de trabalho estabelecida.

3.10. Incremento da gestão de frota

Com todas as informações operacionais do negócio concentradas em bases de dados que trabalham de forma integrada, nada escapa aos olhos dos gestores. Ele ganha recursos robustos para padronização dos processos e controle de riscos.

As soluções tecnológicas de roteirização são poderosas por isso: não só planejam de forma inteligente as rotas, como podem se integrar a outras bases e sistemas instalados na empresa para analisar e indicar boas respostas para diversas vertentes do negócio.

4. O que você precisa considerar ao montar uma rota?

Um algoritmo é uma inteligência computacional que analisa informações para traçar cenários diferentes para determinada situação. Quando aplicados à roteirização de frotas, ele analisa variáveis para determinar a melhor forma de cumprir uma demanda de coleta ou entrega.

Algumas dessas variáveis são:

4.1. Tipo de transporte

O cadastro de todos os veículos da frota é essencial para alocação apropriada do veículo mais oportuno para realizar cada viagem. Volume de carga comportado, manutenções do veículo e outros dados importam na escolha.

4.2. Distância

O objetivo é sempre traçar a melhor rota entre um ponto e outro — e isso, na maioria das vezes, implica a busca da menor distância. Em algumas exceções, consideram-se distâncias maiores, se, por acaso, forem identificados problemas que possam aumentar o tempo de entrega (como acidentes, congestionamentos, desvios para obras na via etc.).

4.3. Localização

Esse é o dado base para toda estratégia de roteirização. A localização espacial do cliente e a localização geográfica da rede de vias são um insumo indispensável na definição do melhor trajeto.

4.4. Multipontos

As rotas com pontos múltiplos são os casos em que devem ser considerados multipontos de partida (depósitos de mercadoria) e de chegada (clientes diferentes), e isso exige a definição de quais veículos devem atender a essa demanda, com vistas à redução do custo total das viagens (em caso de rotas multiveículos).

4.5. Pedágios

O mapeamento de pedágios é indispensável para o desenho de rotas alternativas ou a previsão orçamentária para pagamento dessa despesa, quando for inviável desviar dos pontos de controle.

4.6. Insumo essencial (combustível)

Um monitoramento efetivo do histórico de consumo de cada veículo (km/litro) é um dado relevante. E o acompanhamento do preço do combustível é fundamental para maior competitividade do negócio, facilitando a indicação do melhor ponto de abastecimento no percurso do motorista.

4.7. Custo de viagem na logística

Além do combustível, todas as outras despesas envolvidas em cada viagem realizada precisam ser registradas para uma correta alocação orçamentária e visualização de gaps para enxugamento.

4.8. Monitoramento em tempo real

Já foi comentado neste post, mas ter informações em tempo real do tráfego, de ocorrências de trânsito e do deslocamento do veículo contribui para o monitoramento do desempenho da operação e também do comportamento do motorista.

Como integrar essa solução ao sistema de logística que você tem hoje?

O discurso da inovação precisa estar inserido na agenda prática dos gestores de qualquer negócio. Não pode ser diferente na gestão logística, já que custos elevados e erros na hora de fazer o planejamento de frotas precisam ser abolidos do dia a dia da empresa.

Para modernizar os processos e agregar valor a toda cadeia produtiva, é crucial o investimento em tecnologias voltadas para dados e estruturas digitais.

Ficou no passado o controle de frotas e todos os outros fatores que compõem um modelo de negócio logístico por meio de planilhas ou bases de dados que não conversam entre si. Controles manuais e estáticos não suportam a velocidade dos dados gerados e não oferecem a precisão necessária para as decisões mais acertadas.

A matemática, a estatística e a computação precisam estar presentes e, hoje, inteligências altamente incrementadas estão à disposição, como o Big Data e a Computação Cognitiva. Da mesma forma, tecnologias de mobilidade alinhadas à era digital podem ser exploradas nesse processo de atualização do negócio, via aplicativos acessíveis em smartphones e tablets 24 horas por dia durante os 7 dias da semana.

Para virar o jogo no quesito inovação dos alicerces do empreendimento, não há necessidade de recomeçar do zero. É possível aproveitar o conhecimento instalado e os sistemas e ferramentas já utilizados na empresa.

O chamado legado tem alto valor agregado nesse contexto, já que a inteligência do negócio, tal como sobreviveu até o momento da virada, está ali. E isso é um ponto de partida essencial para os melhoramentos que virão.

O importante, ao se escolher novos instrumentos de trabalho, é buscar parceiros que possam oferecer soluções integráveis com os recursos em operação ou a customização de seus produtos de prateleira para atender especificamente às características do negócio do cliente.

Nesse momento, é fundamental uma visão de consultoria empresarial, que pode ser realizada em conjunto com o fornecedor da solução de roteirização. O objetivo é olhar para o negócio, mapear necessidades, restrições e problemas que serão enfrentados.

A partir daí haverá mais clareza na definição das funcionalidades indispensáveis e das desejáveis em ferramentas. Essa noção mais ampla das facilidades que de fato melhorarão a forma atual de gestão de rotas e de frotas é que fará toda a diferença para uma seleção certeira e para garantia de retorno sobre o investimento realizado.

O fato é que funcionalidades automatizadas de roteirização, rastreamento e monitoramento precisam ser instaladas para guiar a transformação dos processos logísticos. E isso é possível graças às tecnologias que a cada dia surgem no mercado, com base em geolocalização, georreferenciamento e inteligência geográfica.

A tecnologia e a ciência da geoinformação a serviço da logística

A busca incansável pela eficiência é premissa de uma boa governança empresarial. Nas cadeias logísticas, isso se dá por meio de suprimento de matérias-primas e distribuição de produtos.

Nesse contexto, investir em racionalização de processos, estoques ajustados, modelo just in time são algumas saídas para o aumento da competitividade e da rentabilidade do negócio — e uma oportunidade de ampliar a qualidade e reduzir custos está na roteirização.

As tecnologias a serviço dessa necessidade precisam ser adotadas para que sejam ampliadas as chances de sucesso do negócio. Da mesma forma, incluir o máximo possível de variáveis nas análises proverá a empresa de um planejamento otimizado e de táticas de atuação eficientes.

Assim, reverter a tecnologia em prol do negócio é questão de sobrevivência. A geoinformação para logística é um vetor de desenvolvimento, continuidade e sustentabilidade.

Então, a saída é lançar mão de todos os recursos disponíveis para que dados dispersos em diversas fontes e em diferentes formatos se transformem em subsídios poderosos para as decisões do negócio — desde as mais triviais do fluxo operacional até as mais estratégicas que remodelarão os processos logísticos e ditarão os rumos da empresa como um todo.

A missão de vencer tempo e distância na movimentação e entrega de bens e serviços pode ser facilitada com a adoção de um roteirizador, que nada mais é que um software robusto de gestão integrada capaz de enxergar a cadeia de processos de ponta a ponta.

Para entender um pouco mais sobre roteirização, esteja atento às nossas publicações e dicas para planejamento de rotas. Uma sugestão é assinar a nossa newsletter para receber informações atualizadas e materiais exclusivos que destacam a importância de se tomar decisões com base em um panorama completo e atualizado do negócio.

Baixe nosso ebook

Nossos Escritórios


O Maplink usa cookies

Por favor, confirme se você aceita nossos cookies de rastreamento. Você pode recusar e continuar navegando no Maplink sem enviar dados. Ler