terça-feira, novembro 30, 2021

Cidades Inteligentes da Europa: exemplos de inovação e sustentabilidade

Marcadas pela inovação e sustentabilidade, alguns dos maiores exemplos de Cidades Inteligentes da Europa são:

  • Copenhague, na Dinamarca;
  • Amsterdã, na Holanda.

Você sabe o que as principais cidades inteligentes da Europa têm de tão especial? Pois fique sabendo que não é à toa que elas receberam este título. Mas o que torna uma cidade inteligente e por que elas são tão importantes?

O avanço da tecnologia, somado à necessidade de repensar nossas atitudes com ações voltadas para a preservação do meio ambiente, culminou no surgimento de importantes iniciativas em diferentes lugares do mundo, dando origem ao que hoje conhecemos como smart cities.

Neste artigo vamos ver alguns exemplos de cidades inteligentes da Europa, e entender porque esse tipo de iniciativa é tão especial e importante para o futuro do planeta.

O que são Cidades Inteligentes?

São consideradas cidades inteligentes aquelas que conseguem estabelecer um equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e a preservação do meio ambiente, fazendo uso de tecnologia para melhorar a qualidade de vida de sua população. Algumas de suas principais características são:

  • desenvolvimento sustentável;
  • preservação do meio ambiente;
  • otimização da mobilidade urbana;
  • exploração de energias limpas e recursos renováveis;
  • redução de desperdícios;
  • redução da poluição.

No vídeo abaixo você confere alguns exemplos de ações que podem fazer parte das medidas adotadas por cidades inteligentes na Europa e no mundo:

2 exemplos de Cidades Inteligentes da Europa

Inovação e sustentabilidade são fatores comuns em iniciativas como essas. Conheça agora dois grandes exemplos de cidades inteligentes da Europa:

1 – Copenhague – Dinamarca

Da substituição de combustíveis fósseis ao uso de energias renováveis para o aquecimento da cidade, Copenhague é uma das principais cidades inteligentes da Europa. Ela ocupa a 6ª posição no ranking Cities in Motion, publicado pela IESE Business School, que elenca as cidades mais inteligentes ao redor do mundo.

Um grande exemplo do que faz dela uma smart city pode ser visto pelo projeto EnergyLab Nordhavn, que demonstrou como é possível integrar transporte elétrico, edifícios com eficiência energética, eletricidade e aquecimento em um projeto energético capaz de reduzir significativamente as emissões de carbono.

Além de melhorar a qualidade de vida de seus habitantes, essas medidas contribuem ativamente para a redução da poluição, e ainda servem de exemplo para outros países do mundo todo.

Outro ponto que merece ser destacado é o fato de que, em Copenhague, mais da metade da população é adepta do uso de bicicletas como principal meio de transporte para ir ao trabalho, escola, passeios, etc. Mas é claro que isso só é possível graças a uma ampla e eficiente infraestrutura cicloviária.

smart cities Europa
Copenhague – Dinamarca

De qualquer forma, isso mostra que a construção de uma cidade inteligente não depende apenas do governo ou da iniciativa privada, mas de um conjunto de ações que envolvem também os cidadãos.

Para saber mais sobre o assunto, confira a reportagem abaixo:

É importante destacar que todo esse avanço não veio do nada. Foi um esforço contínuo nas últimas décadas que permitiu que o país chegasse ao que é hoje. São esses tipos de iniciativas que tornam viável a ambiciosa meta de Copenhague se tornar a primeira capital do carbono neutro até 2025.

2 – Amsterdã – Holanda

Amsterdã, a capital holandesa, está na 8ª posição no ranking da IESE. Famosa por seus canais e ciclovias é mais um grande exemplo de cidade sustentável.

exemplos cidades inteligentes Europa
Amsterdã – Holanda

No que diz respeito à mobilidade urbana, o sistema de transporte público conta com ônibus, metrôs, barcos e VLTs, sempre priorizando a baixa emissão de carbono.

Quanto à sustentabilidade, Amsterdã possui um projeto chamado Clean Air Action Plan, que pretende substituir veículos movidos a combustíveis fósseis por  elétricos ou à base de hidrogênio. O objetivo é zerar a emissão de gases poluentes do setor de transporte até o ano de 2030.

Assim como em Copenhague, em Amsterdã o uso das bicicletas também é super difundido, dando-lhe inclusive o título de “a cidade das bicicletas”.

Não é para menos, afinal, além de fazer bem para a saúde, a adesão de boa parte da população ao meio de transporte desafoga o trânsito, eliminando os problemas de congestionamento e reduzindo consideravelmente as emissões de carbono.

Veja um pouco mais do que faz de Amsterdã uma smart city:

Esses são apenas alguns exemplos de ações que fazem dessas capitais, grandes exemplos de cidades inteligentes da Europa. Há ainda muitas outras iniciativas focadas em conectividade, energia e cidadania que as tornam fontes de inspiração para o mundo todo.

Assista ao vídeo abaixo para conhecer mais sobre esses e outros exemplos de cidades inteligentes na Europa e no mundo:

E aí? O que você achou desses exemplos de cidades inteligentes da Europa?

A construção de uma cidade inteligente depende da participação de vários agentes: o governo é responsável pelo planejamento urbano, a iniciativa privada deve adotar práticas de logística sustentável como compromisso organizacional, e é claro que também depende da adesão e participação da população, uma peça fundamental.

A Maplink, maior empresa de tecnologia em geolocalização da América Latina, com 20 anos de experiência na área, fornece o apoio para otimizar as operações de sua empresa, garantindo informações estratégicas e a redução de custos operacionais.

Em parceria com sua equipe de TI, integramos soluções que permitem utilizar a inteligência da geolocalização para melhorar a comunicação entres os canais online e offline, por meio da integração do seu sistema com a API do Google Maps. Mas quais são os benefícios disso na prática?

  • Aumento da eficiência nos atendimentos, reduzindo o tempo de resposta e facilitando o acesso ao histórico de cada cliente;
  • Maior agilidade e melhora na comunicação entre cliente e empresa, garantindo uma experiência de compra muito mais positiva para o consumidor;
  • Maior agilidade no fluxo de trabalho, uma vez que o sistema passa a ser alimentado automaticamente e em tempo real;
  • Redução de custos por meio da automatização de atividades, eliminação do uso de papel e otimização dos deslocamentos ao agrupar trabalhos geograficamente próximos;
  • Acesso a dados atualizados, que facilitam o acompanhamento de métricas e indicadores que garantem a satisfação dos clientes;
  • Melhora na rentabilidade, devido ao aumento da produtividade da equipe.

Apoiamos empresas que são protagonistas e referências nos mercados em que atuam, como: Mercado Livre, Decolar.com, Gol Linhas Aéreas, Nestlé e BRF. Agende agora mesmo uma conversa com um de nossos especialistas.

Gostou do artigo? Então compartilhe em suas redes sociais e ajude outras pessoas a conhecerem esses exemplos de cidades inteligentes da Europa! Além disso, assine a nossa newsletter para acompanhar os melhores artigos do blog da Maplink.

smart city Europa

Newsletter
Artículos Recientes

Como fazer planejamento de rotas e quais ferramentas usar

Se você trabalha com operações de transporte, deve saber o quanto é importante ter um bom planejamento de rotas...

Artículos relacionados